NOTÍCIAS

Especialista apresenta seis tendências para liderança e negócios diante do novo cenário

22/JUN

A pandemia de coronavírus trouxe novos desafios e tornou ainda mais complexa a atuação do líder. Para discutir e entender melhor este contexto, o Grupo Agros  convidou as especialistas Gabriela Daronco e Magda Sousa da Silva para participar de Webinar com clientes, parceiros e colaboradores Agros. Nesta entrevista, realizada com a psicóloga e master coach Gabriela Daronco, trazemos mais detalhes sobre os novos desafios da liderança em tempos de incertezas e como deve ser o futuro do trabalho. Confira:

 

Em tempos de incertezas, como as causadas pela pandemia do novo coronavírus, qual deve ser a postura do líder a fim de manter a equipe comprometida, motivada e atuante?

 

Complexidade define o desafio nos negócios e na liderança atualmente, mas nunca pareceu tão urgente quanto nesse momento, com a transformação da vida pessoal e profissional pela pandemia do coronavírus.

Mesmo para os profissionais mais talentosos, o processo da liderança é, ainda que gratificante, uma árdua jornada de aprendizado e auto-desenvolvimento contínuos.

Nesse novo cenário o papel do líder se torna cada vez mais relevante. Apresentamos a seguir seis tendências para a liderança e negócios:

 

  -Tendência 01: Conectividade

Proporcionar condições para manter as pessoas conectadas e informadas durante a crise é uma missão essencial para garantir as atividades de trabalho, a comunicação e também para aproximar pessoas.

A comunicação sempre foi uma habilidade essencial para qualquer gestor. Ela precisa ser praticada no dia a dia e, principalmente, em momentos de incertezas. O silêncio é o maior inimigo de tempos incertos: os funcionários buscam clareza reafirmação de que tudo ficará bem. Sua equipe está trabalhando sozinha e suscetível a ansiedade e medo. Por isso, mande mensagens diárias e informe melhor as suas tomadas de decisão.

 

  -Tendência 02: Liderança com Propósito e Valores bem definidos

Os negócios precisarão viver seus valores e ter o seu propósito como norte, pois aumenta-se a importância da confiança, respeito e solidariedade.

Os pilares da governança com ética, transparência e integridade se tornou ainda mais forte.

 

  -Tendência 03: Buscar trabalhar e agir em parcerias.

Construir soluções coletivamente ajuda a manter os indivíduos fundamentais focados, alinhados e executando as tarefas certas e promovendo com isso um maior engajamento. O cenário mostrou que é possível que pessoas, negócios e instituições se juntem para resolver os problemas da sociedade, criando uma rede de relações e de mobilização.

 

  -Tendência 04:Liderança Humanizada.

Os lideres deverão ter um olhar ainda mais atento para as pessoas, surge uma necessidade maior para a valorização de temas como família, espiritualidade, fé, contato pessoal, empatia. E isso irá impactar na forma de se fazer negócios. Será um novo tipo de consumidor, de cliente, de funcionário.

 

  -Tendência 05: Pratique feedforward

O líder deve demonstrar abertura para ouvir o funcionário e entender suas dores. Uma atitude positiva é criar um ambiente no qual valoriza-se a proatividade e a resolução de problemas de maneira criativa através da prática do feedforward. O feedforward consiste em envolver a equipe na troca de ideias simples que os profissionais consigam colocar em prática no seu dia a dia para seu desenvolvimento e crescimento profissional.

 

  -Tendência 06: Visão de Futuro

Repensar o modelo de trabalho contemplando a responsabilidade social e ambiental à estratégia de negócios, com a finalidade de contribuir na construção de uma economia sustentável e inclusiva. Será necessário devolver valor à sociedade, em forma de impacto positivo, e cuidar do que é valioso para as pessoas.

 

 

Como vocês imaginam o futuro das marcas e o futuro do trabalho? O que pessoas e empresas devem fazer e que cuidados tomar?

Muito tem se falado sobre o chamado “futuro do trabalho” sendo moldado diariamente pelos avanços da tecnologia. Não importa a área de atuação, vê-se claramente o avanço da inteligência artificial em temas rotineiros e ou repetitivos, abrindo a possibilidade de focar o trabalho humano em áreas que demandem criatividade, empatia e habilidades emocionais. 

Com a adoção do trabalho virtual, ou do trabalho flexível, se expandindo a passos largos no mundo inteiro, as organizações deverão definir:

Que tipo de revisão da forma de trabalho deve ser feita para melhor atender standards atuais de produtividade e redução de rastros ambientais? 

Qual a melhor combinação de suas forças de trabalho?

Como absorver o trabalho dos profissionais que não sairão do mercado de trabalho tão cedo e como aprender a lidar com diferentes estilos geracionais para tirar o máximo proveito disso?

Além de exigir um aprendizado e adaptação constantes, toda a transformação e impacto nas carreiras levará a um cenário de profissionais com carreiras múltiplas. 

 

Como a marca pessoal pode funcionar como estratégia de empregabilidade?

A marca pessoal tem o poder de viabilizar oportunidades profissionais. Ela distingue o profissional de seus concorrentes e permite que ele assuma o controle de sua carreira, por meio de: 

-  Identificação e definição de objetivos;

- Geração de conteúdo sobre si mesmo e seu trabalho;

- Construção e otimização de sua presença digital;

- Demonstração intencional de suas habilidades-chave e conquistas;

- Uso de networking a seu favor.

A gestão da marca pessoal é um processo vivo, que leva tempo para ser construído e estabelecido, mas que uma vez desenvolvido, acompanha diariamente a pessoa em seu ambiente de trabalho, nos eventos atendidos, durante o almoço postado no Instagram ou no mais recente artigo sobre tecnologia escrito e estrategicamente compartilhado no LinkedIn. Tudo isso constrói e reforça a imagem da pessoa, seu reconhecimento e lembrança por aspectos positivos autênticos, ou seja, coisas que só farão bem para sua reputação.

Essa é a relação entre o futuro do trabalho e marca pessoal: nesse ambiente em transformação constante que o futuro do trabalho trará, ela se torna um elemento fundamental de comercialização do próprio trabalho. 

 

COTAÇÕES (CBOT - CHICAGO)

GRUPO AGROS

12/08/2020 às 08:23
SOJA
MILHO
TRIGO
Agropan - Tupanciretã/RS
115,00
46,00
57,00
Camnpal - Nova Palma/RS
113,50
45,00
55,00
Coopatrigo - São Luiz Gonzaga
115,00
45,00
54,00
Cotrel - Erechim/RS
109,00
49,00
55,00
Cotribá - Ibirubá/RS
114,00
45,00
58,00
Cotrijuc - Julio De Castilhos/RS
113,50
45,00
55,00
Cotrisal - Sarandi/RS
113,00
45,00
55,00